Blefarite é causa frequente de olho vermelho!


Sintomas como vermelhidão nas pálpebras, olho vermelho e irritação ocular podem estar relacionados a uma condição muito frequente no consultório do oftalmologista: a blefarite.

A blefarite é uma doença inflamatória crônica das pálpebras, acometendo de 37% a 47% dos indivíduos em alguns estudos. É uma das causas mais frequentes de doença da superfície ocular e de sintomas irritativos, como prurido, ardência e sensação de olho seco.

A etiologia é complexa e, embora não seja totalmente compreendida, sabe-se que a ação de bactérias e inflamação são fatores que contribuem diretamente para sua ocorrência.

A blefarite pode ser classificada como blefarite anterior ou blefarite posterior.

A blefarite anterior acomete a base dos cílios, com formação de crostas (com aspecto semelhante à caspa), por aumento de oleosidade (blefarite seborreica) ou por ação bacteriana (blefarite estafilocócica).

A blefarite posterior é secundária à disfunção das glândulas palpebrais de Meibomius, primária ou associada a outras doenças, como a rosácea. É a principal causa de olho seco evaporativo.

A seguir apresentamos algumas orientações gerais para o tratamento adequado dessa condição:

  1. A blefarite não tem cura, mas pode ser bem controlada com a manutenção adequada do tratamento indicado pelo médico oftalmologista.

  2. A higiene palpebral é a principal medida para melhora da função das glândulas acometidas, propiciando um filme lacrimal mais estável e alívio dos sintomas. Deve ser realizada diariamente, com o produto receitado pelo médico oftalmologista.

  3. Compressas mornas são eficazes para a melhora da drenagem das glândulas de Meibomius, principalmente se aplicadas por pelo menos 4 minutos e aquecidas a 45o Celsius.

  4. O uso de colírios lubrificantes é recomendado para o alívio dos sintomas de olho seco, com frequência estabelecida pelo médico oftalmologista, a depender da intensidade do quadro clínico, das atividades do paciente e de fatores ambientais.

  5. O uso de drogas anti-inflamatórias, antibióticos ou suplementação dietética com ácidos graxos pode ser útil em determinadas situações, determinadas pela avaliação médica oftalmológica.

Visite regularmente seu oftalmologista!

Posts Em Destaque
Posts Recentes